Entre os objetos, estão joias, móveis e baús do ex-deputado.
Ao todo, serão leiloadas 156 peças e dinheiro pagará dívidas.

A gravata borboleta desenhada por Clodovil será leiloada com um lance mínimo de R$ 11 mil (Foto: Divulgação)O ex-deputado morreu em março de 2009, após sofrer
um AVC (Foto: Divulgação)
Acontece nesta quinta-feira (12) em uma casa na Alameda Lorena, no Jardins, um leilão com parte dos bens do ex-deputado Clodovil Hernandes, que morreu há três anos. Entre as 156 peças leiloadas estão joias, móveis, baús e objetos de decoração.

Os 1.095 diamantes comprovam o gosto sofisticado de Clodovil. A gravata borboleta desenhada por ele será leiloada com um lance mínimo de R$ 11 mil. Clodovil usou a peça no réveillon de 2008.

Para levar os botões brilhantes, o interessado terá que desembolsar, no mínimo, R$ 840. As joias foram avaliadas pela Justiça. Por isso, o lance inicial é mais alto. O leilão de todo o resto começa com um lance de apenas R$ 20, entre elas peças como um jogo de café de prata e marfim.

Um espelho, um armário de madeira e um sofá estavam no gabinete dele em Brasília. Móveis e objetos de decoração refinados, desenhados por ele. A coleção de baús acompanhava Clodovil pelas diversas viagens. Tem baú de uma das grifes mais caras do mundo. Para comprar um desses, direto da França, custa quase R$ 40 mil. O lance inicial dos baús e das malas é de R$ 20.

Estilista consagrado e gay assumido, Clodovil foi também apresentador de TV e deputado federal. Como não teve herdeiros, todo o valor arrecadado vai ser usado para pagamento de dívidas - muitas delas com ex-funcionários -, que segundo a advogada, passam de R$ 300 mil. Uma casa em Cotia, na Grande São Paulo, também já está à venda.

Clodovil vendeu muitos pertences durante a vida, mas nunca se desfez da recordação mais preciosa: a joia com a foto da mãe. Ela também estará à venda neste leilão. As peças ficam expostas nesta quarta-feira (11) e quinta-feira (12), até o fim da tarde. O leilão será nesta quinta-feira, às 21h, em uma casa na Alameda Lorena, 878, nos Jardins.

O ex-deputado morreu em março de 2009, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).